• Ana Teresa Santos

Será a vida um festival em tempo real?

Acho que serei, para sempre, uma “Festivaleira na vida”, pelo menos, assim espero.

Não quero, de modo algum perder esta minha vontade de me divertir, dançar, abraçar, beijar e viver momentos tão felizes com quem mais gosto, mas também não quero perder a minha garra de lutar.


No fundo, a vida é como um festival, não é? Quando queremos muito ver um concerto, atuação ou artista que admiramos, quase corremos e fazemos “corta-matos” para o assistir. Eu faço isso também, mas na minha vida pessoal.


Quando tenho um propósito, nem que alguma poeira se levante, mesmo que existam muitas pessoas na mesma rota, eu trilho o meu caminho, com os mesmos direitos e deveres, porque se não lutarmos pelos nossos objetivos, de certeza que a tela que é “a história da nossa vida”, não virá ao nosso encontro para que a assistamos no final ‘disto tudo.





59 visualizações